OS BELOS DIAS

DE ARANJUEZ

THE BEAUTIFUL DAYS

OF ARANJUEZ

belos1.jpg

Os Belos Dias de Aranjuez, peça escrita por Peter Handke em francês durante o Verão de 2011, é um diálogo sobre o amor, numa tradição que poderíamos fazer remontar a O Banquete de Platão. Uma mulher e um homem, na cumplicidade trazida por uma longa intimidade e pela beleza do fim de uma tarde de Verão, falam de amor, da primeira vez, num jardim que é como o primeiro jardim. O homem faz perguntas, de acordo com regras que parece terem sido estabelecidas antecipadamente, como num jogo. Às recordações de amor misturam-se recordações de viagem e descrições do mundo que os rodeia (às vezes ameaçador), que testemunham uma atenção excepcional aos sinais da natureza, quase imperceptíveis, e que são indissociáveis dos mistérios que o homem e a mulher procuram decifrar.

2014

 

DE

Peter Handke

ENCENAÇÃO

Tiago Guedes

TRADUÇÃO

Maria Manuel Viana

ADAPTAÇÃO LIVRE

Joana Frazão, Tiago Guedes e o elenco

COM

Isabel Abreu e João Pedro Vaz

CENOGRAFIA e FIGURINOS

Ângela Rocha  

DESENHO DE LUZ

Nuno Meira

CO-PRODUÇÃO

LEFFEST / CCB